segunda-feira, 6 de setembro de 2010

EXISTENCIAL

Vendo Deus
nos espectros de minhas dúvidas,
vendo-o nos olhos vendados do eu,
no sentir vendido e fundido, na descrença deste meu ego -
cego nonsense fazendo dimensão do que não sou....

para no fim sermos, apenas
cadáveres.

3 comentários:

Higor Dourado disse...

Concordo.. bem o assunto que a gente tava falando no dia lá hein??
rsrs..massa man

Higor Dourado disse...

Pow Matheus.. atualiza teu blog man..
sim.. sobre minhas seguidoras..elas só seguem :S nem comentam nem nada :S

keila Nunes disse...

Lindo poema, Mateus...

Tão profundo e peculiar.

Parabéns!!