sexta-feira, 21 de novembro de 2014

PÉ NO CHÃO



Pras infâncias de Rafael

a poeira, a terra batida,
coisas naturas, puras
pé no chão,
passariar passarinhos...

olho que distingue o verde de chuva,
arranhão ao subir um pé de umbu,
bicho de pé, assombração
o gosto bom do café, descobrir de um ninho
infâncias de Rafael...
talvez não conheça Beatles
mas saberá o cantar das cotovias,
a prenhez da vaca,
o sublime do simples...

certamente será um grande homem,
doutor do que quiser,
imaginativo ou sensato,
tratar no tato, o calo e a sabedoria
tudo o que poderia ser, será...

como um poeta de Barros,
forte como sertanejo,
sem traquejos: seu próximo andar

é um mundo todo a girar...

2 comentários:

Lucicleia Araújo de Oliveira disse...

Perfeito!
obrigada Baby pelo carinho com meu pequeno Rafa ou commo vc diz: Raphinha

Antônio de Freitas disse...

Digno de um Manoel. Bravo!