quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

VOLTAR



Porque uma alma poeta jamais deve morrer...  

Em agradecimento aos muitos incentivos que recebi...

voltar?!
volátil que sou...
vou, tá?!
todo blue,
azul senil de calma,
uma alma soul,
arma apontada
pros nortes deste sul,
desnorteando desconexos,
do poeta infante que se apresenta,
presente !!!

a priori
a prioridade
são idades querendo maturar,
eu que me abstenho ao silêncio;
calar é tudo o que tenho
colar cacos gagos, repetidas doses
de overdoses e sentimentos...

4 comentários:

Lucicleia Araújo de Oliveira disse...

Que bom que voltou ,e parece-me mais sensível que nunca .Ah poeta não pense mais em parar ,escreva sempre ,e terá aqui alguém para ler com maior prazer..

Taís Fernanda Gama disse...

...e o poeta renasce após a morte precedida do caos...

...um novo ciclo para se reciclar...
...um rito para não se calar...

...pois o silêncio do poeta grita de dor...

...e de amor...

Duca Maia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Duca Maia disse...

Continue a gritar poeta...não se vá