segunda-feira, 27 de junho de 2011

MAIS UMA PARA LUDMILLA (OU “QUE DIA, FINALMENTE, ELA VAI VER QUE SOMOS FEITOS UM PARA O OUTRO?”)

"E no meio de tanta gente eu encontrei você
Entre tanta gente chata sem nenhuma graça, você veio
E eu que pensava que não ia me apaixonar
Nunca mais na vida..."

(Não vá embora - Marisa Monte)

id
e super id
se fundem,
se fodem,
se osmosem
no conhecer-se a si mesmo...

e daí é preciso se auto-amar,
mas como conseguir isto, sendo eu tão fraco ?!
Tenho que me escorar nos ombros dum gigante
e assim poder alçar belos voos...
E sinto que você é tudo isto: esta força
que me ergue e me faz caminhar, seguir, continuar,
escrever, dissipar e sublimar...

(serei mesmo real dentro do meu mundo surreal ?!)

e cadê você ?!
cadê você, naquele metro quadrado onde estou ?!
cadê você, no meio da multidão, no meio daquela gente ?!
cadê você, que é tão gente...
cadê você, que é agente motor
deste meu poema
feito de sangue e insônia...

como te quero, você nem saiba...
seu sorriso me encanta de forma descomunal...
temo que estas palavras possam ferir o que há
de mais belo entre a gente,
mas estancar este grito
seria o mesmo que podar os cabelos da clássica personagem infantil.

Então o que farei, pergunta uma boa voz amiga:
- Esperas então o cabelo da Rapunzel crescer
Ou procura uma escada, antecipando assim o encontro com sua amada ?!

E saio à sua procura, feito algo no cio
uma bomba em pleno fim de pavio,
algo que preciso dizer, evitar vazios...

Não quero desmurar nosso castelo tão rijo,
(faça de mim ainda seu refúgio, um esconderijo...)
mas tenho que lhe perguntar se há um amor dolente,
se posso ver futuro entre a gente,
se posso sonhar em tê-la, minha amizade diferente ?!

Um comentário:

Millah Lima_auto descoberta disse...

Não tenho palavras para descrever a minha gratidão por esse poema, sinto-me lisonjeada por servir de inspiração para esse doces versos.E tamanha é minha admiração por você essa pessoa maravilhosa e meiga, que me fez voar bem alto com palavras lindas e tocantes.
Parabéns você é um grande poeta...
Obrigada por existir.
Grande amigo.