quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

FORA DO COMUM

Conversa de balcão, cervejinha pós-pelada:
- Ôrra, finalmente você chegou... que é que que cê tinha pra falar comigo de tão urgente ?!
- (ofegante) Cara, inda bem que você veio... meu, precisava trocar um lero contigo viu...
O outro era todo ouvidos:
- Sou todo ouvidos... manda aí !
- (sem saber falar, tropeça nas palavras) Assim, cara... (engasga, ora gagueja) puta, brother, tou apaixonado, caído mesmo !!!
- (sorriso amarelo, como que esperava se espantar mais com a notícia) Porra... era só isso ?! Cara, fico feliz... e logo contigo, que tava na procura mesmo... parabéns, mano, parabéns !!!
- (pede uma cerveja) Pois é... homem, ela é linda, linda mesmo... mas tem um probleminha...
- (beberica sua já morna cerveja. Finge espanto.) Probleminha ?! E qualé ?! Me conte logo, oxi...
- Cara, ela é de circo...
- Circo ?! Aquele que tá na cidade ?! Hum, pitoresco diria... mas tá valendo.
- (põe mais cerveja nos dois copos) Certo, mas ainda sim tem outro pequeno problema...
- (espantado de verdade) E é ?! Deixe de rodeios e conte logo, porra...
- Meu, é difícil de falar...
- (pensa em ir embora) Porra, fala logo... (chega a se levantar, mas logo se senta novamente)
- (puxa respiração) Tá, vou falar... é o seguinte: como eu já disse, ela trabalha no circo....
- Sim, você já me disse isto...
- Pois então... tou pensando em fugir com ela...
Esta o assusta em maior grau, mas ainda sim nada de grande absurdo:
- Bem, assim... é complicado, mas se você a ama...
- Amo sim, cara... porra, foi amor de verdade, daqueles de filme, de aniversário de casamento dos avós...
Pela primeira vez na conversa conseguiu abstrair o fato. Logo indagou:
- Cara, vem cá: o broto trabalha com o quê lá ?!
Engole bruscamente a cerveja, parecendo surpreso com a pergunta. Não diz nada, então o outro continua:
- Hein, moleque: a mana faz o quê lá ?! Já sei: ela é a contorcionista né...
Ele nega.
- Não ?! Hum, deixe-me ver... ah, vou chutar: é a malabarista ?!
- (com certa vergonha) Não, não...
- (já sem ideias) Hum... então ela é bailarina, domadora de leão, assistente de mágico... já sei: ela é uma daquelas que fica no alvo do atirador de faca, acertei ?!
- (quase derrubando o copo) Não, não, não e não...
Fico com medo do que cogitou. Ainda sim arriscou:
- (risinho) Só falta você dizer que tá de love com a mulher barbada...
Ainda rindo de sua piada, ele observa o rosto do colega ficar sério.
- Não, cara...
Ele confirma com a cabeça. Logo diz, quase gritando:
- Barbada, cara, barbada !!! (o último “barbada” sai em soletração)
Diante de tal ironia nonsense, o outro se vê num misto de gargalhada e espanto:
- Cara, tou babaca agora... nem sei o que dizer...
- Brother, diga nada... sei que bizarro, mas gosto dela pra caralho...
Ainda besta, o outro tenta alguma justificativa desnecessária:
- Bem... eu já tive namoradas de pequeno buço e tal...
Contudo não conteve-se em perguntar:
- E ela tem muito pêlo ?!
- Putzs... (um gole de cerveja. Logo conclui) Cara, ela tem mais que um camelo... (completa) Camelo o animal, não o cantor !!!
Então ficaram quietos, sorvem o restante do líquido e saem para seus "felizes para sempre..."

***

Caminha pela rua movimentada. Logo é abordado por uma bela mulher:
- Moço, você sabe onde fica esta rua aqui ?! – e estende um papel.
O homem mal responde e ela logo diz:
- Cara, como você é lindo !!! Nossa, tou apaixonada...
Embasbacado, ele fica sem reação. A gata continua:
- Nossa, nunca vi um homem como você... você é lindo, uau...
Ele apenas indaga:
- Você tá falando comigo mesmo ?!
Ela, em frenesi, continua:
- Sim, é claro... você é o homem mais lindo que já vi na vida !!!
E beija-lhe a face várias vezes no rosto e no pescoço. Indaga:
- Você é casado, tem namorada ?! Ai, meu Deus... eu tenho que ter você pra mim !!!
Então o homem puxa algo do bolso e diz em off:
- Finalmente minha vez....obrigado, meu Santo Antônio !!!!
E guarda uma pequena imagem do santo que sempre carregara. Logo se vira pra moça:
- Tenho não, querida... sou sozinho, finalmente você chegou, meu amor !! – e agarra-na com força, devolvendo-lhe os beijos.
Vendo até onde tinha chegado, ela diz:
- Moço, isto é uma pegadinha... olha lá a câmera...
Ele parece não escutar e ainda continua segurando o corpo da rapariga, cada vez mais forte...
- Vem cá, meu amor... Há tempos que esperava uma chance do amor....
- Cara, me larga... eu sou uma atriz, nada disto é verdadeiro... isto aqui uma pegadinha, por favor me larga !!!!
E começa a gritar:
- Direção, direção... socorro !!!
O doidivano continua com seu migué:
- Eu te amo, te amo... é amor verdadeiro, tipo estes de filme, de aniversário de casamento dos avós... não vou te perder jamais !!! Casa comigo ?!
A moça, num tom de sarcasmo e medo:
- Casar ?! O senhor está louco ?! Eu já sou casada... me larga, pela amor de Deus !!!

Demoraram minutos para separar o quiprocó, ele assina um termo de autorização das imagens e a atriz, ainda apavorada, sai trêmula e medicada. E ele então, cabisbaixo e mudo, também vai embora e segue sua sina.

2 comentários:

Diego Socrates Dias Mousine disse...

Sacanagem.

Lisa Alves disse...

O último foi mais infeliz, o primeiro pode resolver o probleminha com nossa avançada tecnologia ... embora as barbas da mocinha devem ter dispertado essa filia louca. rs