sábado, 15 de janeiro de 2011

PALAVRA AMORAL

"É tão fácil ser poeta, e tão difícil ser um homem." (Charles Bukowski)

Não leia minhas palavras – deguste-as...
coma-as de forma glutônica, devore-as e extraia seu sumo...
desossoe-as toda, sugue-lhes o tutâno essencial...
Embebeda delas, nutra-se de seu teor...
Cozinhe-as no vapor, deixe-nas dissolver na língua...

e nunca procure nelas qualquer lógica,
esclarecimento, parábola ou moral de fábula...
minha palavra amoral, sem ética,
sem consequências, apenas um ditame...

palavra dita, palavra mal/dita
que fere os olhos, alimenta o ego,
se aninha com meu ser,
purifica imaculando;
palavra profana,
palavra sana, palavra corpo
palavra para nunca ser lida – palavra vida...

mas não as leia, palavra ceia...
sorva-as em banho-maria
defume-as, unte, unge-as
morda, chupe, engola-as...

sou a fome do poema,
tão mais dificíl é ser homem.

7 comentários:

Diego Socrates Dias Mousine disse...

Massa. Vou comprar seu livro.

Por que você faz poema? disse...

Ser homem é dificil,
muito mais é ser poeta.

Hig@oººº disse...

Viva a imaculada amoral dos poetas! viva a sua ética sem estética!
como você me disse uma vez "quero ser você quando eu crescer!"

Sandrio cândido. disse...

O ultimo verso reflete bem o pensamento do nosso tempo.

Sandrio cândido. disse...

O ultimo verso reflete bem o pensamento do nosso tempo.

Alter Ego disse...

Hum... Degustei as tuas palavras!

Ótimo poema...

Andressa disse...

Bukowski!