domingo, 8 de maio de 2011

SONATA-SONETO PARA ANNA

Ao som de “Amsterdam” (Coldplay)

Ela conversa comigo, fazendo-me assim seu fã
Ela só me quer como amigo, mas teimo tal condição;
Ela grita, insiste num “não” com afã
Eu apenas sorrio; com brio aceito, recolho-me então...

Ela merece uma sonata que ecoe e sibile por todos os lugares,
Ela terá o soneto que acalante seu sonhar;
Ela ganhará asas, planando feliz por todos os ares
Eu ficarei aqui, torcendo para que nos façamos par...

Ela não me quer, contudo teimo a insistir
Ela diz não em uníssono, porém nego qualquer aceitação
Eu me entrego todo a ela, de alma e unção...

Por ela viajo mil léguas em contramão,
Faço-me dela barato, basta ela vir
Para morar comigo, fazendo rimas piegas com meu coração.

2 comentários:

tiagodus disse...

essa foi boa! mulheres cair-se-ão com
isso

Ana Cleide disse...

UIA poode ter crtza disto meu caro ÓÓÓ!!! Mateus arrebentou ADOOOOOOOREI VIU muuito obrigada, desde já muito honrada ai mô paai seei nem oq dizer (MUUUUITO LINDO).