segunda-feira, 16 de maio de 2011

SOPHIA

De presente para minha linda afilhada

Sophia
sofria
porque a neve, de tão fria,
derretia
as pontas macias
das calotas polares...

Sophia
sabia
que a lua, ao dia,
não saía, nem adormecia:
apenas luzia
noutros lugares...

Sophia
dependia
da mãozinha do papai como compainha,
da ternura doce de sua mainha,
sempre a coser suas bainhas,
estando ao lado, sombra espiã seguindo pra onde ia...

Sophia
dizia
que seu dizer sobressairia
qualquer distante agonia:
o antes gris cairia, a dor então desapareceria,
enquanto você assim sorria...

Sophia
deusa de qualquer sabedoria
sabe-se, criança,
que o sono vem e balança
a rede em que você dormiria,
nos sonhos que construiria,
ou no seu primeiro sorrir que se esmeraria,
doce arcanjo, brilho das três marias
do casal amigo é a alegria,
e dum tolo poeta, a fonte de todas sua poesia.

Um comentário:

Ana Cleide disse...

Noooooooooossa!!!... achei tão lindo este Mateus, a pequena SOFHIA já é com crtza tão bela o qnto é retratada aki *----*