domingo, 20 de abril de 2008

PRA ÉLCIA, NADA MAIS

Tenho-a tão longe de meus olhos,
eles, cansados, nem choram mais...

Vejo-te num redemoinho de estrelas,
ou numa explosão de rosas,
em mil coisas gasosas, no sublimar dum pôr-do-sol,
Na proximidade de um sorriso,
em qualquer coisa que me lembre um terno carinho...

mas ainda sim a tenho tão longe de mim,
e talvez isto me persiga por toda o instante...

porém você se metamorfoseia em lua,
fazendo de mim apenas mais um que te contempla.
Construo templos, mil tempos para te amar,
um mar que nos aproxime, a imensidão que nos eternize...
destruo esta podre e pobre distância,
que insiste em aumentar minha ânsia
de te querer, nada mais...
acabo com tudo que nos desvia -
labirintos que sinto, procuro e não há seu guio.
Assim a tristeza se despe,
faz de mim um serviçal seu,
mas só em ti redimo-me,
e gozo pelo prazer de te escutar ali

4 comentários:

Fábio Fernandes disse...

Olá Tetéu,

Geeeenial !!!!!! ...continue assim... a cada dia vc escreve melhor...estou sempre acompanhando seu trabalho e posso afirmar vc é um grande poeta...abraços meu amigo.

Fábio Fernandes.

SBTVD disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the SBTVD, I hope you enjoy. The address is http://sbtvd.blogspot.com. A hug.

Mateus Dourado disse...

Grande Fábio !!!!

Bons ventos o trazem para um comentário no meu blog...
Agradeço-o pelas palavras !!!!

Abraços !!!

Élcia disse...

meu poeta..sinto-me muito feliz..com tal homenagem!!!

obrigada meu poeta...por tanto carinho dedicado a mim...

bjusss..lhe amu..