sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

RESOLUTO DA MINHA EMBRIAGUEZ

A minha embriaguez
é verde
jamais branca,
nunca branda
é apenas um doce engano,
um elixir, um magma...
A minha embriaguez
é denotação,
uma ação, um beijo de língua,
uma vitória que se rege.
A minha embriaguez
é profanação divina
um cristal que prisma tudo
obra prima
primeira vez...

Ninguém tem nada que se meter
na minha embriaguez,
ela é egoísta,
ela é dos outros,
minha embriaguez é desnecessária de qualquer líquido...

Basta apenas ter um amigo.

(2006)

Um comentário:

Germano V. Xavier disse...

Um poeta que explana, que explode, que ecoa, que ressoa, que sua, que extravasa... A verve que não vive sem morrer... uma volta em grande estilo, meu caro. textos explodindo como corações pulsantes nas avenidas do mundo.

Feliz daquele que conhece teu arrebol de palavras...
Lerei todos...
Um forte abraço, mestre...
Germano.